segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Ajude seu filho a passar de ano!

A semana das provas escolares finais se aproxima e nem sempre os filhos tiveram o rendimento que esperávamos ao longo do ano. Será que ainda dá tempo de recuperar as notas? Dr. Marcelo Reibscheid, pai, amigo das crianças e pediatra do Hospital e Maternidade São Luiz, além de criador do portal Pediatria em Foco (www.pediatriaemfoco.com.br) dá dicas:

O primeiro passo é estabelecer os direitos e deveres das crianças. Privar o filho da diversão não é saudável. Estipule horários para vídeo-game e televisão, por exemplo, pois o lazer ajuda a criança a absorver o conteúdo e se sentir recompensada.

"Na hora de estudar, estabeleça um cantinho e um horário fixos, bem longe de qualquer distração. Isso facilita a concentração. Quando possível também vale combinar com outras mães para os filhos estudarem juntos e trocarem informações sobre as matérias. Mas isso somente se tiver um adulto para supervisionar e orientar os pequenos”, explica Reibscheid.

Um questionamento comum dos pais é sobre as dificuldades da criança. Nem sempre sabemos todas as respostas e isso não deve ser escondido do filho. Nesse caso, ofereça companhia para pesquisar.

Ainda de acordo com o pediatra, devemos usar os nossos pontos fortes a favor dos filhos. Se você é criativo, por exemplo, contar histórias ou cantar fórmulas pode ser uma forma divertida de ajudá-lo a memorizar.

No final do dia, peça ao seu filho para fazer um resumo de todo o conteúdo revisto. Se puder, faça uma pequena prova, com as principais questões abordadas. Vale entrar em contato com a escola para se inteirar sobre o modelo de avaliação.

“Outra dica importante é estimular a capacidade da criança, dizendo frases positivas e reconhecendo o esforço realizado”, alerta o pediatra.

Por que as crianças não gostam de matemática?
De acordo com dr. Marcelo Reibscheid, até o sexto ano do ensino fundamental as crianças costumas gostar da disciplina. Após esse período as notas costumam cair e ocorre a perda de interesse pela matéria. Isso acontece pela forma que ela é desenvolvida. A criança sente falta da relação com algo concreto que possa ligar com a aplicação.

Será que meu filho é disléxico?
Segundo pesquisas realizadas, 20% de todas as crianças sofrem de dislexia – o que faz com que elas tenham grande dificuldade ao aprender a ler, escrever e soletrar. Saiba quais são os sinais apresentados em cada idade:

Entre 3 a 6 anos - Na pré-escola
1. Ele persiste em falar como um bebê (involuntariamente)?
2. Freqüentemente pronuncia palavras de forma errada?
3. Não consegue reconhecer as letras que soletram seu nome?
4. Tem dificuldade em lembrar o nome de letras, números e dias da semana?
5. Leva muito tempo para aprender novas palavras?
6. Tem dificuldade em aprender rimas infantis?

Entre 6 ou 7 anos - Primeira-série
1. Tem dificuldade em dividir palavras em sílabas?
2. Não consegue ler palavras simples e monossilábicas, tais como “rei” ou “bom”?
3. Comete erros de leitura que demonstram uma dificuldade em relacionar letras a seus respectivos sons?
4. Tem dificuldade em reconhecer fonemas?
5. Reclama que ler é muito difícil?
6. Freqüentemente comete erros quando escreve e soletra palavras?
7. Memoriza textos sem compreendê-los?

Entre 7 e 12 anos
1. Comete erros ao pronunciar palavras longas ou complicadas?
2. Confunde palavras de sonoridade semelhante, como “tomate” e “tapete”, “loção” e “canção”?
3. Utiliza excessivamente palavras vagas como “coisa”?
4. Tem dificuldade para memorizar datas, nomes ou números de telefone?
5. Pula partes de palavras quando estas têm muitas sílabas?
6. Costuma substituir palavras difíceis por outras mais simples quando lê em voz alta; por exemplo, lê “carro” invés de “automóvel”?
7. Comete muitos erros de ortografia?
8. Escreve de forma confusa?
9. Não consegue terminar as provas de sala-de-aula?
10. Sente muito medo de ler em voz alta?

A partir dos 12 anos
1. Comete erros na pronúncia de palavras longas ou complicadas?
2. Seu nível de leitura está abaixo de seus colegas de sala de aula?
3. Inverte a ordem das letras – “bolo” por “lobo”, “lago” por “logo”?
4. Tem dificuldades em soletrar palavras? Soletra a mesma palavra de formas diferentes numa mesma página?
5. Lê muito devagar?
6. Evita ler e escrever?
7. Tem dificuldade em resolver problemas de matemática que requeiram leitura?
8. Tem muita dificuldade em aprender uma língua estrangeira?

Se seu filho apresenta algumas destas características, procure ajuda do seu Pediatra. Nunca é tarde para começar o tratamento.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Bullying - como prevenir

No dia 13 de setembro de 2011 o filósofo e professor Silvio Costta, autor do livro Antibullying - uma estratégia para aprender e prevenir, esteve no programa Lá em Casa tirando dúvidas e alertando pais e mães para o problema.

video

Segundo ele é possível tratar o bullying de forma lúdica, sem fazer discursos morais sobre o tema. E ele propõe essa "brincadeira" através do livro/jogo que desenvolveu.

O autor explica que bullying é a atitude do "valentão", daquela pessoa que quer exercer o poder sobre o outro, amedrontar o outro, para aparecer e se sobressair aos demais.

A vítima:
O chamado "valentão" vai assediar a pessoa que tem um diferencial: ou porque é gordinha, ou magrinha demais, ou usa óculos, ou aparelho, ou é muito tímida...

Perfil da vítima:
É por causa da vergonha de suas fraquezas, ou da sua timidez, que a vítima de bullying geralmente não se revela, nem para os pais.

Como se defender:
Desenvolver a auto-estima é uma maneira de se defender do bullying.

Como prevenir:
Não se pode evitar o bullying, mas dá para prevenir se o professor observar seus alunos mais atentamente e os pais participarem mais das atividades com os filhos na escola.

Como saber se seu filho sofre bullying:
- a criança chega da escola atrasada todos os dias;
- a criança chega com a roupa suja ou rasgada;
- a criança perde dinheiro;
- a criança chega machucada e fala que caiu;
- a criança perde o material escolar, o celular;

Como a vítima pode dar um basta:
Quando a escola não consegue resolver o problema, as pais da vítima acabam tirando o filho da escola.

O assunto bullying tem sido mais discutido hoje do que era há 1 ano, mas as pessoas, e as escolas, principalmente, segundo o professor Silvio Costta, ainda não sabem lidar muito bem com a situação e não têm muita informação sobre o assunto, o que dificulta a prevenção e o tratamento dos casos.

A dica do professor Silvio Costta é conversar sempre com seu filho, estar atendo a tudo o que acontece com ele e, principalmente, olhar nos olhos da criança. Segundo Costta, os olhos de uma criança não mentem nunca!

Lá em Casa - inspirando pais a criarem filhos que façam a diferença no futuro!
Produção e apresentação: Vanessa Caubianco
Exibição: terça-feira, ao vivo, das 16h às 17h
Realização: AllTV
www.alltv.com.br

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Mães falam demais...mas como anda a comunicação com seu filho?

O corre-corre diário causa estress, cansaço e até doenças. Mas o pior dessa agitação toda é a falta de tempo para conversar em casa, COM OS NOSSOS FILHOS.
Você pode me dizer que sem seu trabalho você não pode ajudar nos gastos com a casa (que crescem mais rápido do que o tamanho do tênis das crianças), ou que precisa dele para continuar sendo a mulher que sempre foi, ou que ele é importante demais para o "engrandecimento da Nação" e você não pode abandoná-lo jamais, enfim, você pode me dar mais de um milhão de justificativas (e vou achar todas muito válidas), mas QUERO TE CONVIDAR PARA REFLETIR SOBRE COMO anda sua comunicação com seu filho? Você tem tido tempo pra ele e vice versa? Será que o corre-corre afeta nossas relações familiares? Até que ponto isso é importante para o nosso futuro?
No programa Lá em Casa de amanhã (8/11), vamos conversar com a Roselake Leiros, que é coach, palestrante especializada no comportamento humano, diretora da CrerSer Mais e autora do Projeto “Pai e Mãe nossos de cada dia”. É pioneira em coaching para crianças, master practitioner em PNL – Programação Neurolinguística, Constelação Sistêmica Familiar e instrutora credenciada pelo SENAI, sobre "COMO ANDA A COMUNICAÇÃO COM NOSSOS FILHOS.
Venha conversar com a gente ao vivo através do chat. Mande suas perguntas e opiniões.
O Lá em Casa começa às 16h no www.alltv.com.br

LÁ EM CASA - inspirando pais a criarem filhos que façam a diferença no futuro
Exibição: terça-feira, das 16h às 17h, ao vivo
Produção e apresentação: Vanessa Caubianco
Realização: AllTV (www.alltv.com.br)

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Gravidez X disposição para o trabalho e Chá de Bonecas

O programa Lá em Casa de hoje vai falar sobre um dos temas mais discutidos no universo materno-profissional hoje em dia, que é a disposição da mulher durante a gravidez. A palestrante Valeria Labat vai tirar as dúvidas mais comuns entre as grávidas dos escritórios brasileiros.
No segundo bloco, vamos saber como preparar um “Chá de Bonecas” digno de princesa para a sua filha e muitas outras novidades que a pedagoga Kelly Holanda inventa para estreitar vínculos entre pais e filhos através de atividades prazerosas e inusitadas.
Mande suas perguntas e participe do programa ao vivo através do chat. O Lá em Casa começa hoje excepcionalmente às 15h e para assistir acesse www.alltv.com.br.

Lá em Casa – inspirando pais a criarem filhos que façam a diferença no futuro
Produção e apresentação: Vanessa Caubianco
Exibição: toda terça-feira, das 16h às 17h
Realização: AllTV
www.alltv.com.br